Caixa reabre linha de credito com recursos do FGTS e eleva para 70% cota de financiamento para imovel usado

Caixa reabre linha de credito com recursos do FGTS e eleva para 70% cota de financiamento para imovel usado

Fonte: Por Marta Cavallini, G1

02/01/2018 11h52  Atualizado 02/01/2018 20h59


 

 

 

 

Linha Pró-Cotista é hoje a que cobra os menores juros para quem não se enquadra nas regras do Programa Minha Casa Minha Vida;

banco diminuiu a exigência da entrada para financiar imóveis usados de 50% para 30%.

 

A Caixa Econômica Federal retoma nesta terça-feira (2) a linha de empréstimo imobiliário Pró-Cotista, uma das mais baratas do país e que havia sido suspensa em junho do ano passado.

Além disso, o banco elevou o limite de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados, ou seja, foi diminuída a exigência da entrada para financiar imóveis usados, de 50% para 30%. Para unidades novas, foi mantido o percentual de 80% no teto do financiamento.


Pró-cotista

A linha pró-cotista é hoje a que cobra os menores juros para quem não se enquadra nas regras do programa Minha Casa Minha Vida. Além da Caixa, o Banco do Brasil é o único que oferece a pró-cotista.


A Caixa Econômica Federal informou que a modalidade foi reaberta nesta terça para os clientes que atenderem aos critérios estabelecidos pelo Conselho Curador do FGTS. O valor disponibilizado para este ano é de R$ 4 bilhões. Em 2017, o valor da modalidade foi de R$ 6,1 bilhões. A procura pela linha é que determina quando o recurso deve se esgotar, portanto, não existe um prazo definido, segundo a Caixa.

A linha Pró-Cotista é destinada a trabalhadores com conta no FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e oferece taxas de juros que variam de 7,85% (clientes com débito em conta ou conta-salário) a 8,85% ao ano.

Para se enquadrar na modalidade, é necessário comprovar, no mínimo, 36 meses de trabalho sob o regime do FGTS (não necessariamente consecutivos) ou saldo em conta vinculada de, no mínimo, 10% do valor da avaliação do imóvel, não podem ser proprietários de imóvel no município (ou região metropolitana) onde moram ou onde trabalham, nem ser detentores de financiamento no SFH em qualquer parte do país, tanto para imóvel novo e usado.


O empréstimo pode ser pago em até 30 anos, na aquisição de imóveis de até R$ 950 mil em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Nos demais estados o teto é de R$ 800 mil.


Financiamento

O aumento no teto de financiamento de 50% para 70% para imóveis usados vale para contratos pelo SAC (Sistema de Amortização Constante), em que o valor das parcelas cai ao longo do tempo.

Esse novo teto vale para todas as modalidades de financiamento, incluindo Minha Casa Minha Vida, Pró-Cotista FGTS e SBPE (que usa recursos da poupança).


A Caixa havia diminuído o limite para financiamento dos imóveis usados duas vezes em 2017. De 70% para 60% em agosto e de 60% para 50% em setembro.

 

 

Governo Autoriza Caixa A Utilizar R$ 15 Bilhoes Do FGTS Para Credito Imobiliario

Governo Autoriza Caixa A Utilizar R$ 15 Bilhoes Do FGTS Para Credito Imobiliario

Fazenda Rio Grande quer se tornar cidade ideal ate 2050; confira entrevista com presidente da Acinfaz

Fazenda Rio Grande quer se tornar cidade ideal ate 2050; confira entrevista com presidente da Acinfaz

Fazenda Rio Grande 2050

Fazenda Rio Grande 2050